Coaching: o que é e como funciona

Você sabe o que é coaching? Entende a diferença entre coaching, coach e coachee?

Simplificando, o Coaching é um processo que tem por objetivo melhorar o desempenho e se concentra no presente, no “aqui e agora”, e não no passado ou futuro distante. Embora tenham muitos modelos e técnicas diferentes, de modo geral, o coach – o profissional -, atua como um facilitador da aprendizagem, do desenvolvimento do cliente, o coachee.

Existe uma enorme diferença entre ensinar alguém e ajudá-lo a aprender. No coaching, fundamentalmente, o coach está ajudando o indivíduo a melhorar seu próprio desempenho, ou seja, ajudando-o a aprender. Quem determina o caminho a seguir é o cliente, não o coach. 

De onde vem o termo “coach”…

Coach é uma palavra inglesa, mas de origem húngara (koesi). Koes é uma cidade da Hungria que no século XV começou a produzir carruagens, que devido ao seu conforto, se tornaram as mais cobiçadas da época. Assim, as carruagens de Koes eram chamadas de koesi.

Por volta de 1830, o termo Coach passou a ser utilizado na Universidade de Oxford, na Inglaterra, como sinônimo de “tutor particular”, aquele que “carrega”, “conduz” e “prepara” os estudantes para seus exames. Em 1831, o termo Coaching foi usado pela primeira vez no âmbito dos esportes. Em 1950, a palavra foi usada pela primeira vez na literatura de negócios, como uma habilidade de gerenciamento de pessoas. 

Nos dias de hoje, o coach é o profissional especializado no processo de Coaching. Ou seja, o coach é o profissional e coaching é a técnica usada por ele para ajudar o cliente a refletir, chegar a conclusões, definir ações e, principalmente, agir em direção a seus objetivos, metas e desejos. Nesta área, o cliente é chamado de coachee.

O ‘Jogo interno’

Nenhuma discussão de coaching seria completa sem menção de Timothy Gallwey e suas ideias sobre o “jogo interno”. O livro de Gallwey, The Inner Game of Tennis, revolucionou o pensamento sobre o treinamento. Ele sugeriu que os maiores obstáculos para o sucesso e a obtenção de potencial eram internos, não externos.

A visão de Gallwey era que os treinadores poderiam ajudar os indivíduos a melhorar seu jogo, distraindo-os de seu diálogo interno e, em particular, a voz crítica que dizia: “Não é assim! Concentre-se em suas mãos! Anime-a de forma diferente!”.

Ao distrair essa voz interior, o corpo poderia assumir o controle, isso porque muitas vezes o corpo tem uma ideia muito clara do que fazer quando os diálogos internos são suprimidos. Gallwey usou o exemplo de pedir às pessoas que se concentrassem na altura em que atingiram a bola de tênis. Esta atividade não tem relevância, mas o simples ato de se concentrar nela distraiu a voz interior e permitiu que o corpo capaz assumisse o controle. O atleta relaxou e a performance dele melhorou imediatamente.

A percepção real de Timothy Gallwey era que isso não se aplicava apenas ao Tênis, mas a todas as pessoas. Segundo ele, os indivíduos têm respostas para seus próprios problemas dentro de si.

A parte essencial do coaching é, então, ajudar as pessoas a aprender a silenciar essa voz interior e permitir que seus instintos, ou seus subconscientes, assumam o controle. Às vezes, isso significa distraí-lo, e às vezes é sobre explorar o “pior cenário” e remover o medo.

SELF 1 e SELF 2

No livro, Tim Gallwey chamou de SELF 1 o “Eu julgador”, que é crítico, julgador, limitador e que nos impõe medos. Já o nosso SELF 2 é o próprio “Eu verdadeiro”, ou seja, nosso potencial, que nasceu conosco e que é pode ser aprimorado nas diversas fases de nossas vidas. Assim, o objetivo do Inner Game é amplificar o Self 2 enquanto Self 1 é equilibrado ou diminuído.

Nesse jogo interior, o que vale é ter clareza dos próprios potenciais e como eles podem se expandir, enquanto se trabalha as dificuldades ou interferências, sejam elas internas ou externas. A grande questão é identificar estes potenciais e interferências diariamente, como um hábito.

A sustentabilidade do conjunto Inner Game de valores está baseada no fato de que a Performance deva estar aliada ao aprendizado e à satisfação. Nenhuma performance se mantém por obrigação.

Aprendizado gera consciência

Por exemplo, ninguém tem resultados sólidos no emagrecimento e mantém esses resultados apenas por obrigação. Para nossa prática, traduzo que quando a pessoa aprende algo, ela se sente mais viva, com melhor autoestima. O aprendizado nos dignifica, gera consciência. Já a satisfação mantém a motivação. Não é à toa que as pessoas que mantém uma qualidade de vida em alta aprenderam de fato a se reeducarem e encontraram prazer em suas rotinas saudáveis.

Segundo Gallwey, quando em qualquer atividade permitimos que as pessoas gerem aprendizado, e de uma maneira onde possam positivamente ter prazer naquilo que estão fazendo, de um modo quase que “inconsciente” os resultados surgem e a performance é atingida.

Pense com você: 

Como é possível diminuir o que está te limitando? O que está te gerando mais dificuldades? Como é possível reduzir isto? E de outro lado… com você pode diariamente melhorar seu potencial? Ou seja, o quanto você sabe que pode realizar o que você quer? O quanto você pode melhorar suas habilidades e ampliar seu poder interior?
Esse é o jogo interno, o jogo de alta performance. 

Vocabulário

Coach:

Profissional que aplica as técnicas do Coaching, seja para uma empresa ou para um indivíduo específico. Ele é o responsável por treinar o seu coachee baseando-se em técnicas e metodologias do Coaching. Essas técnicas são capazes de trabalhar o desenvolvimento pessoal e humano de cada um, valorizando sempre as competências individuais, além de relaciona-las a um processo de evolução contínua.

A habilidade chave do coach é fazer as perguntas certas para ajudar o indivíduo a trabalhar através de seus próprios problemas.

Coaching:

É o processo de desenvolvimento pessoal ou profissional que o Coach conduz em seu Coachee. Esse processo é o ato de ajudar uma pessoa ou instituição a atingir seus objetivos e metas despertando todas as suas capacidades.

O coaching envolve a crença de que o indivíduo tem as respostas aos seus próprios problemas dentro deles. O coach não é um especialista em assuntos, mas sim está focado em ajudar o indivíduo a desbloquear seu próprio potencial.

O foco é muito sobre o indivíduo e o que está dentro de sua cabeça. Um coach não é necessariamente uma pessoa designada para isso: qualquer um pode adotar uma abordagem de coaching com outros, seja colegas, subordinados ou superiores.

Coachee:

É a pessoa que passa pelo processo de Coaching. No caso, o cliente que está sendo instruído e liderado por um Coach.

Observação importante: nunca chame o cliente de paciente. Isso remete a um problema de saúde ou disfunção.

Mas o que é o coaching?

Um simples treinamento? Não. Mais do que isso.

De acordo com o ICF (International Coach Federation), Coaching é um processo em forma de parceria com os clientes. É um processo criativo, estimulante e inovador, que inspira a maximizar as potencialidades pessoais, profissionais e humanas.

No Coaching, o coach (profissional) e o coachee (pessoa que passa pelo processo de coaching) identificam objetivos, traçam metas e estabelecem os pontos que indicarão o sucesso. O coach, através do uso de suas técnicas e habilidades, presta assessoria, estimula, apoia e acompanha todo este processo, de modo a garantir que o rumo definido durante as sessões com seu cliente seja seguido e que os obstáculos que possam surgir ao longo do caminho sejam superados.

As abordagens para o coaching são as mais diversificadas possíveis, sempre se adequando com facilidade às necessidades do cliente. É um trabalho de pareceria entre o coach e o coachee.

O coach evita ao máximo dizer ao indivíduo ou empresa que o contratou o que fazer. O coach não dá ordens ou conselhos. O trabalho dele é ampliar a percepção do coachee, fazendo com que ele mesmo descubra a melhor forma para chegar ao seu objetivo. O coach dá assistência e oferece ferramentas necessárias para que o cliente trilhe seu próprio caminho de crescimento e continue sempre crescendo de forma independente.

Benefícios do Coaching

Os benefícios do coaching são que o indivíduo será capaz de melhorar seu desempenho no trabalho e na vida pessoal com base nas habilidades definidas durante a sessão com o coach. 

Atualmente, muitas empresas contratam coaches para ajudar no desenvolvimento pessoa e profissional. Esses profissionais devem estar dispostos a ouvir, observar e apoiar a habilidade, o conhecimento e o engenho do coachee – o cliente.

Mas o coach pode atuar em qualquer área, não precisa estar ligado, necessariamente, a uma empresa. O coach pode atender coachees por conta própria. Hoje em dia existem coaches de carreira, desenvolvimento pessoal e emocional, coaches na área de saúde, para ajudar a cuidar das finanças e até mesmo passar em concurso público.

Coaching não é:

Aconselhamento

Ao contrário dos terapeutas e conselheiros, os coaches não se concentram na infância ou experiências passadas que podem ser a raiz do modo como uma pessoa vive ou sente. Em vez disso, eles ajudam seus clientes a ficarem claros sobre o que eles querem no futuro, porque eles querem e como eles vão conseguir isso.

O foco é no presente, no que o coachee deve fazer hoje para alcançar as metas estipuladas por ele mesmo. Coaching não deve ser confundido com terapia ou qualquer atendimento psicológico. A ideia encontrar maneiras de superar os bloqueios e seguir frente.

Consulta

Os consultores diagnosticam as necessidades de uma organização ou indivíduo e oferecem suas próprias soluções com base em seus conhecimentos especializados para “consertar” o problema; soluções que muitas vezes implementam para o cliente também.

Já os coaches usam ferramentas e processos para ajudar os clientes a gerar suas próprias soluções e fazê-los entender que a responsabilidade pelo cumprimento ou não das metas é deles. Como disse anteriormente, o coach é apenas um facilitador, ele ajuda a pessoa a encontrar formas de resolver o problema apresentado durante a sessão.

Treinamento

Alguém novo no Coaching pode ouvir a palavra “coach”, que em português significa “treinador”, e pensar em esportes, mas os treinadores de atletas geralmente são responsáveis pelo time, estabelecendo os objetivos e o caminho para a vitória.

Ensinar, corrigir e gerenciar são habilidades que um treinador de esportes usaria. O coaching, na verdade, é o oposto; É o cliente que define os objetivos. O coachee que estabelece as próprias metas a serem seguidas rumo aos seus objetivos.

Habilidades de um coach

Todo coach precisa desenvolver algumas habilidades que são consideradas pedras angulares para que o coachee atinja todo o potencial dele.

Gerar confiança

Coaching fornece um ambiente seguro e favorável que produz respeito mútuo e confiança mútua. Como coaching, você aprenderá a construir um relacionamento rápido com seus clientes usando ferramentas simples e poderosas, como backtracking.

Backtracking permite que você esclareça sua compreensão de novas informações, oferecendo ao cliente uma maior conscientização sobre seus pensamentos. Essa técnica consiste em repetir o que o coachee transmitiu durante a sessão, é a habilidade de reafirmar pontos-chave da conversa, procurando utilizar exatamente as palavras do cliente. Esta técnica torna-se eficiente se juntar à repetição, o tom de voz e a postura do coachee.

Indo além de ouvir

Coaching vai muito além de apenas ouvir o que as pessoas estão dizendo; Ele se alonga em sintaxe, tom de voz e linguagem corporal. Como coach, você aprenderá como visualizar o mundo através da perspectiva do seu cliente, para entender o significado do que eles dizem no contexto de seus valores e objetivos.

A escuta ativa é um passo incrivelmente importante para melhores habilidades de comunicação. Um bom coach consegue escanear o próprio cliente, consegue entender o que ele quer dizer com um olhar, com uma mania de mexer as mãos, com trejeitos. Enfim, é preciso ir além da simples conversa.

Pergunta poderosa

O coaching é apenas sobre avançar, não olhar para trás. Como coach, você usará perguntas abertas para evocar descobertas, insights, compromissos e ações que movem seus clientes para a frente. O questionamento aberto é um conceito simples que muda suas conversas de simples e chato para expansivo e provocador.

Preste atenção em tudo o que o seu coachee disser. Uma pergunta poderosa pode surgir a qualquer momento, basta ficar atenta à história.

Metas à prova de balas

Como coach, você orientará o coachee para obter resultados, sempre avaliando se o seu cliente está no bom caminho e agindo para alcançar o objetivo esperado. Os coaches usam a meta SMART para assegurar a compreensão e a responsabilidade total do coachee.

A meta SMART é uma ferramenta que auxilia na definição de metas, não importando se estas servirão para uma determinada pessoa ou para uma empresa.

  • S – Significa specific, ou seja, uma meta deve ser específica naquilo que quer.
  • – Atribui-se a measurable (mensurável), ou seja,  é necessário determinar um indicador que irá contribuir para a pessoa atingir o objetivo pensado. 
  • – Vem de achievable, que quer dizer atingível ou aquilo que é alcançável. Desejar obter resultados incríveis é o que todos querem, mas o gestor deve ter em mente que as metas devem estar em uma realidade possível. 
  • – Corresponde a relevant, o que permite entender que as metas precisam ser relevantes para a pessoa ou organização. 
  • – O T vem de time. Pensando nisso, fica a ideia de que para toda meta é preciso determinar um tempo para que ela se cumpra. Estabelecer uma meta sem um prazo não faz sentido.

Projetando ações positivas

O coaching sistemático explora preocupações e oportunidades específicas que são fundamentais para os objetivos definidos pelo cliente. Como coach, você ajudará os clientes a priorizar os problemas e orientá-los através de decisões difíceis.

Lembre-se, o coaching não significa dar conselhos. Os verdadeiros coaches capacitam seus clientes a identificar ações positivas por conta própria. O domínio das ações de design abre uma nova dimensão na forma como você cria sucesso a longo prazo.

Garantindo responsabilidade

O coaching gera mudanças positivas a longo prazo. Como coach, você usará ferramentas de gerenciamento de tempo precisas para promover a autodisciplina do seu cliente e responsabilizá-los pelos resultados das ações pretendidas.

A mudança de atitudes e comportamentos para alcançar objetivos acordados é significativamente mais fácil quando a prestação de contas está presente.

O processo de coaching é uma via de mão dupla

Para que todo o processo seja efetivado, o coach tem técnicas e ferramentas para ajudar uma pessoa a se comprometer ainda mais. O coachee, no entanto, precisa estar disposto a centrar no processo de coaching, precisa encará-lo com seriedade. Se a ação não for feita, não existe o coaching. Ou seja, sem comprometimento real com a ação, o resultado não pode ser alcançado.

O trabalho de Coaching só funciona com a ação, com o foco do cliente. Medindo e aprendendo a cada passo dado em direção ao resultado. Centrando-se no feedback, orientação, recapitulando, aprendendo e replanejando o caminho em direção ao Ponto B.

Para o Coaching, a jornada é mais importante que o destino. O estado desejado é apenas uma consequência do processo de transformação e evolução do cliente, que agora é muito mais forte e centrado, com competências necessárias para superar os desafios que antes (no Ponto A) pareciam impossíveis de serem enfrentados.

Por meio das técnicas do Coaching, o coach trabalha no coachee a reeducação, a construção de escolhas, o modo de pensar, as perdas e os ganhos, entre outros fatores. Uma mudança total de comportamento.