Resiliência: por que é tão importante no empreendedorismo?


Diante de um grande desafio, você entra em desespero? Se algo acontece de forma inesperada e negativa, como você reage? De maneira calma ou simplesmente acha que o mundo vai acabar e nada será resolvido?

Você é uma pessoa resiliente? Você consegue analisar os problemas com seriedade e encara as mudanças como algo natural da vida?

Resiliência é a capacidade que o indivíduo tem de responder e forma mais consistente aos desafios e dificuldades, reagindo com flexibilidade e capacidade de superação diante de desafios e circunstâncias adversas.

Conceito emprestado pela Física à Psicologia do Trabalho, a resiliência é a capacidade de resistir às adversidades e reagir diante de uma nova situação. Um profissional pode precisar dela tanto para encarar a pressão do dia a dia e do mercado quanto para atravessar momentos difíceis, como crises econômicas e acidentes.

Sem a resiliência, as dúvidas dão lugar ao pessimismo e tudo é motivo para achar que as coisas vão dar errado, que o negócio não vai para frente, que os clientes não vão aparecer, seu produto ou serviço não vai vender. Desenvolver a resiliência é um dos caminhos para manter a serenidade no trabalho e na vida pessoal. Isso quer dizer que o resiliente é aquela pessoa flexível que consegue se adaptar bem à nova realidade, mesmo que essa não seja nada do que ela esperava.

Se pensarmos um pouco sobre a vida, todos já passaram por momentos difíceis, mas tiveram que se manter firme para continuar. Isso é ser resiliente. No entanto, não é preciso viver algo complicado para aprender a resiliência. Por isso, é tão importante saber mais sobre essa característica.

Qual a relação entre resiliência e empreendedorismo?

O empreendedorismo é um caminho repleto de desafios para quem decide segui-lo. Entretanto, muitas pessoas não levam isso em consideração, o que acaba gerando frustração e até mesmo desistência do sonho de abrir o próprio negócio.

Por essa razão, antes de começar a empreender, é fundamental refletir sobre obstáculos que virão. Algumas situações, por exemplo, fogem do controle, como a realidade do mercado, a mudança de comportamento do consumidor e a rápida evolução nos processos.

Logo, é fundamental que o empreendedor saiba identificar os problemas, desenvolva a criatividade e o autocontrole. Lembrar-se de que empreender é um desafio diário, ajuda bastante no desenvolvimento da resiliência. Sem ela, o pessimismo toma conta, o que consequentemente prejudica mais a empresa do que auxilia na sua manutenção.

A primeira coisa que é preciso desenvolver para se tornar resiliente é usar a razão. Muitos profissionais, no calor do momento e em meio às situações adversas, se deixam levar pela emoção. O fato é que aquele que usa a razão consegue se sair melhor, já que sabe distinguir que aquela é apenas uma circunstância passageira.

Leia também:

Será que você é resiliente?

O conceito de resiliência você já sabe, mas será que você é uma pessoa que pratica a resiliência no seu dia a dia, na sua vida pessoal e profissional? Separei aqui 9 características das pessoas consideradas resilientes. Vamos lá?

1. Elas têm grande capacidade de adaptação

Pessoas resilientes são flexíveis tanto mental quanto emocionalmente. Sentem-se muito confortáveis em utilizar qualidades e comportamentos aparentemente opostos. São indivíduos que têm facilidade em ser ao mesmo tempo lógicos e intuitivos, sérios e brincalhões, calmos e entusiasmados, fortes e gentis. 

2. Elas esperam que as coisas sempre terminem bem

 São pessoas dotadas de profundo otimismo ancorado em fortes valores internos. Têm grande tolerância às incertezas e ambiguidades. Conseguem trazer estabilidade em situações críticas ou caóticas. Costumam perguntar: “O que posso fazer para que as coisas terminem bem para todos nós?” ou “Como eu posso ressignificar isso que aconteceu?”

3. Elas criam emoções positivas em épocas de crise

Conseguem mergulhar em situações que para outros são estressantes, porque aprendem ótimas lições de situações negativas. Transformam infortúnios e desgraças em coisas boas e se fortalecem com a adversidade. Costumam perguntar: “Como posso modificar isso? Por que foi bom que essa situação negativa acontecesse?” 

Leia também:

4. Elas aprendem continuamente com a experiência de vida

Pessoas resilientes assimilam rapidamente experiências novas ou inesperadas e agregam facilmente essas mudanças às suas vidas. Elas perguntam: “Qual a lição por trás dessa experiência?” Mesmo em meio à crise elas riem e experimentam emoções positivas. Esse comportamento emocional ajuda a liberar a oxitocina e as endorfinas, substâncias preciosas que auxiliam a enfrentar situações de grande pressão. 

5. Elas sabem se defender

Quando confrontadas com ataques e manobras mal-intencionadas elas evitam e boqueiam essas ações, sabem respondê-las buscando também apoio, aliados e recursos adequados para o enfrentamento. Isso não quer dizer brigar ou discutir com os outros. Significa que sabem se comunicar e mostrar seu ponto de vista.

6. Elas têm uma autoestima sólida  

A autoestima é como você enxerga a si mesmo e determina o quanto você aprende quando algo deu errado. A autoestima faz com que você respeite a si mesmo e aos outros, e saiba aceitar críticas sem ressentimentos, bem como elogios e cumprimentos, sem se ensoberbecer ou tornar-se arrogante.

Leia também:

7. Elas tem amizades e relacionamentos saudáveis

Existem inúmeras pesquisas mostrando que o apoio social é essencial para a resiliência. Mesmo que você seja introvertido, se você tiver uma pessoa de confiança com quem possa conversar sobre sua situação, isso pode ser extremamente útil. Pessoas solitárias estão mais sujeitas a condições de estresse. Falar com amigos, familiares ou mentores diminui o impacto das adversidades e aumenta o sentimento de autoestima e autoconfiança.

8. Elas são criativas e intuitivas

São indivíduos que analisam os problemas e dificuldades sob vários ângulos e descobrem várias soluções diferentes para eles. Sabem e reconhecem a importância da intuição como fonte de dicas e orientações. Procuram constantemente desenvolver a criatividade expandindo, assim, a inventividade e a busca de novos horizontes profissionais.

9. Elas melhoram a cada ano que passa

A medida que o tempo passa tornam-se cada vez mais resilientes, alertas, competentes e de temperamento jovial. Gastam menos tempo tentando sobrevier – como faz a maioria -, e concentram-se em viver ativamente o presente, mirar para o futuro e superar crises prontamente. Pessoas resilientes invariavelmente fazem com que seu futuro seja maior do que o seu passado – pois não repousam em suas conquistas – e que o seu aprendizado seja sempre maior do que a experiência já adquirida.

Leia também:

7 dicas certeiras para adquirir resiliência

 Resiliência não é um dom divino e nem mesmo algo difícil de conquistar. Ser resiliente vem de um esforço verdadeiro de autoconhecimento e força de vontade de encarar a vida de uma maneira diferente, com mais sabedoria e seriedade. Ter resiliência é entender que nem tudo é sobre você, nem tudo gira em torno do seu umbigo. Momentos difíceis acontecem para todo mundo e saber lidar com isso de maneira inteligente é o que vai te diferenciar das pessoas que se vitimizam o tempo todo.

Ser resiliente é tirar o ego da frente e perceber que é possível encarar os problemas de frente, que é possível superar as barreiras impostas e ressignificar as lembranças ruins. A resiliência vai te faz uma pessoa mais centrada e confiante. A vida é feita de altos e baixos, você pode encarar isso como algo terrível ou como um desafio. O que você prefere?

Separei aqui 7 dicas que vão te ajudar a desenvolver a resiliência. Vem conferir:

1 – Tenha relações interpessoais valiosas

Valorize suas relações pessoais: família, amigos, colegas de trabalho.  Estabeleça um círculo social que lhe faça perceber que seu tempo é bem utilizado e que você é uma peça importante nesse mesmo sistema. Esteja próximo de pessoas que te fazem bem, que te fazem crescer tanto no lado pessoal quanto no profissional. Afaste-se de pessoas tóxicas, que sugam sua energia, sua vontade de fazer a diferença. Esse tipo de pessoa só te joga pra baixo, só critica e te faz olhar para o lado negativo das coisas. Isso não é bom para ninguém. 

2 – Desenvolva o olhar positivo

Tenha esperança e otimismo. Acredite que é possível superar a adversidade, isso é indispensável. Nem sempre o que foi planejado acontecerá do jeito que você imagina. O resiliente é aquele que sabe lidar com esses imprevistos e está aberto às mudanças que podem surgir.

Esteja sempre atento e não tenha medo de colocar em prática o plano B, C, D. Se você é empreendedor, por exemplo, lembre-se que o importante é que o sonho de empreender não se perca em meio à adaptação que será necessária. 

Remoer experiências ruins é um hábito que não pertence às pessoas resilientes. Resolva os problemas que surgirem, adapte-se às mudanças e siga em frente. 

3 – Lembre-se dos seus valores

Cultive bons valores, persiga seus objetivos e acredite. Aprenda a crescer diante da adversidade, visualize novas possibilidades. A disciplina está diretamente associada à resiliência. É por meio da assiduidade que se refina essa característica tão importante para qualquer profissional, principalmente para o empreendedor. Mesmo diante da pressão e condições adversas, a pessoa deve ter disciplinar para cumprir o que foi proposto.

4 – Seja flexível

Acredite na mudança. Não tenha medo das mudanças, dos obstáculos, dos infortúnios. O medo paralisa. Isso quer dizer que a pessoa não consegue realizar tarefas, mesmo que simples, pois ficam receosas das consequências que virão. No entanto, se você deseja adquirir resiliência, será preciso enfrentar as situações de frente, assumir riscos e ter coragem.

Mesmo que você erre e passe por momentos desconfortáveis, isso servirá de lição para os acertos e o ajudará a melhorar a sua capacidade de reinvenção. Isso é fundamental em qualquer área.

Não há evolução sem mudança e mesmo que você não queira evoluir em nada, a mudança acontecerá. Portanto, adapte-se à mudança. Isso te ajudará a colocar em prática estratégias mais dinâmicas e a analisar as circunstâncias da sua vida para poder melhorar naquilo que deseja.

5 – Comunique-se

Fale claramente sobre suas necessidades. Busque esclarecimentos. Tire suas dúvidas. mesmo que as emoções sejam fortes, expresse-as. A repressão emocional pode chegar a deixar uma pessoa doente. Não guarde emoções, problemas, angústias. Procure alguém para conversar, um familiar, amigo ou até mesmo um profissional. 

Se algo te incomoda no seu trabalho, deixe isso claro. Um ambiente de trabalho ruim pode ser nocivo para sua saúde mental. Tente resolver a situação da melhor forma possível. Uma simples reunião pode solucionar tudo.

Leia também:

6 – Cuide de você

Estabeleça relações prazerosas, com pessoas que você gosta e que gostam de você. Passe mais tempo com pessoas que fazem você se sentir bem. Isso vai jogar sua auto-estima lá em cima. Não deixe que o trabalho e as ocupações sejam as únicas coisas que preenchem seu tempo. Faça coisas das quais você gosta e com as quais pode aproveitar e, acima de tudo, descanse. 

Você não pode evitar que os eventos altamente estressantes apareçam em sua vida, mas poderá melhorar sua relação com eles. Tente ampliar sua visão e ser consciente de que a maioria dos estresses são temporários, não fixos ou permanentes. Se eles forem, faça um plano de organização e atuação. A autoconfiança nas capacidades pessoais e na atitude positiva contribui para formar uma atitude resiliente.

7 – Tenha determinação

Tome decisões positivas. Dê passos concretos e aprenda com os erros. Você não deve viver baseado apenas no futuro, mas é preciso sonhar com ele e trabalhar para as suas metas sejam alcançadas. Não se esqueça de que isso ajuda a reduzir a ansiedade e a ser mais forte ante os problemas que surgirem pelo caminho.

Faça o seguinte exercício: anote em um caderno os seus planos para daqui 1, 5 e 10 anos e descreva o que deve ser feito. O resiliente sabe que nem tudo sairá como planejado nesse passo a passo, mas segue firme, pois tem um objetivo final bem claro.

Algo ruim ter acontecido não quer dizer que sua vida inteira está à deriva, nem que a sua personalidade e valores também estejam. Delimite bem o problema para poder atacá-lo e evitar que contamine o que há de belo em sua vida.

 

Leia também:

Aprenda a usar a sua criatividade

As coisas não foram o que você imaginou? Com a resiliência é possível desenvolver outra característica fundamental: a criatividade. O aprimoramento dela pode inclusive levá-lo a inovar a sua forma de empreender e ajudá-lo a se adaptar às novas demandas do mercado.

Use esses momentos de adversidade para pensar em novas soluções. Inclusive, é nessas situações que muitas das melhores ideias surgem, dando um salto no negócio.

A resiliência é uma virtude complexa, que não é fácil de ser construída. No entanto, ela fundamental ao empreendedorismo, sendo uma das suas principais características. Quem consegue construí-la, obtém muito mais vantagens ao longo do tempo.

São nos momentos de dificuldade que o profissional deve manifestar a sua resiliência, renovando a sua forma de trabalhar, de lidar com as pressões e de tomar decisões. Uma pessoa que consegue desenvolver esta habilidade se depara com inúmeros benefícios, tais como: eficiência, confiança, empatia, proatividade e otimismo. Dessa maneira, o profissional resiliente se diferencia dos demais colaboradores, cresce profissionalmente e alcança resultados de excelência.

Um velho ditado ditado diz que não podemos controlar os ventos que sopram no nosso barco, mas podemos ajustar as velas para chegarmos ao nosso destino. É exatamente o que faz a pessoa resiliente: ajusta as velas para chegar ao objetivo, adaptando-se e agindo com flexibilidade diante da conjuntura adversa.

Você se considera um profissional resiliente? O que você tem feito para desenvolver esta habilidade?